quinta-feira, 7 de março de 2013

Indíos Xavantes Nota de Repúdio - OPIX 2013



NOTA DA OPIX


Na sexta – feira 22 de Fevereiro de 2013, foi divulgada pela mídia/Blog – São Tomé e jornais da cidade Primavera do Leste, e TV Central América - MT, relatos distorcidas marginalizando ideologicamente indígenas que furtam e saque de carga de valores alto na BR -070 que trafegam nos limites da reserva e cobrando pedágio, agressões nos agentes da policial Rodoviário Federal generalizando o povo indígena Xavante. O governo em nosso país Brasil, tem garantido os direitos individuais/coletivos; mas tenta subjugar o nosso povo nesse país a um pensamento único de desenvolvimento enquanto existe ainda a desigualdade e grande pobreza cheio de violência e poucas ordens e cumprimento das leis que rege o nosso país e a população brasileiras. Compreendemos que todos têm direito e livre de expressões, a vida e, é necessários ter umas decisões politicas que apontem para a restruturação da FUNAI, fortalecer dando uma iniciativa de produção para a sobrevivência, pois só assim, não teria ter acontecido que de fato ocorreu, não todos os dias. Os veículos que capotam com cargas de alimentos perecíveis e não perecíveis são aproveitados pelos indígenas para não contaminar a natureza e os rios que bebemos e que são altamente tóxicos após. Aldeia Sangradouro Município de General Carneiro com população de 2.746, próximo à cidade Primavera do Leste que dista 45 Km², tem grande respeito com autoridades policial rodoviário Federal, no qual são parceiros nossos. Então, a nossa comunidade e do povo xavante é: Respeitar para ser respeitado. Por isso, a melhor maneira é dialogar para compreender o contexto da vida atual nessa globalização e novas tecnologias com o exercício de solidariedade e aproximação entre grupos indígenas da sociedade civil respeitando a cultura o modo de vida e os direitos ameaçados nas nossas luas e não criminalizar sem conhecer a realidade e fatos concretos. Não pode confundir direitos com desenvolvimento da modernidade, respeito e, sim refletir que ainda podemos aprender a conhecer o desenvolvimento com uma nação indígena sem discriminação, sem generalização, caracterizado como atrasado, primitivo, e não pode ser visto também como moderno industrializado. Mas apenas estamos começando ver o que é positivo e negativo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário